Postado em & arquivado em Notícias, Pesquisa.

Desde 2011 o grupo TEIA da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) vem participando de uma pesquisa do governo Federal visando mapear o impacto do programa Mais Educação (PME) como estratégia indutora de políticas públicas de educação em tempo integral no Brasil. Além do TEIA, o estudo também conta com a presença de pesquisadores das Faculdades de Educação das universidades Federais do Paraná (UFPR), Rio de Janeiro (UNIRIO), Pernambuco (UFPE), Pará (UFPA) e Goiás (UFG).

Pesquisadores visitam Escola Tancredo Neves no município de Cariacica-ES onde os alunos tem  aula de xadrez.O Programa Mais Educação (PME), apresentado pelo governo federal como estratégia indutora para a construção de políticas de educação em tempo integral, em estados/municípios do país, foi instituído pela Portaria Interministerial no 17/2007 e pelo Decreto no 7.083/2010 e tem por finalidade “contribuir para a melhoria da aprendizagem por meio da ampliação do tempo de permanência de crianças, adolescentes e jovens matriculados em escola pública, mediante oferta de educação básica em tempo integral” (Art. 1º).

Segundo cartilha do projeto “a educação que este Programa quer evidenciar é uma educação que busque superar o processo de escolarização tão centrado na figura da escola.A escola, de fato, é o lugar de aprendizagem legítimo dos saberes curriculares e oficiais na sociedade, mas não devemos tomá-la como única instância educativa. Deste modo, integrar diferentes saberes, espaços educativos, pessoas da comunidade, conhecimentos… é tentar construir uma educação que, pressupõe uma relação da aprendizagem para a vida, uma aprendizagem significativa e cidadã.” (disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/passoapasso_maiseducacao.pdf)

A primeira parte da pesquisa foi desenvolvida através de coleta de dados quantitativos, utilizando como instrumento um questionário autoaplicável, enviado às redes públicas brasileiras que ingressaram no Programa Mais Educação nos anos de 2008, 2009 e 2010, para ser preenchido pelo coordenador do Programa Mais Educação no Município/Estado. Essa pesquisa tinha por objetivos mapear as ações do PME em escolas das redes públicas brasileiras; caracterizar o PME a partir da construção de categorias de análise de suas ações; identificar as articulações e potencialidades dos atores envolvidos no PME, para a construção de políticas de educação em tempo integral; localizar avanços, dificuldades e desafios do PME como estratégia indutora de políticas públicas de educação em tempo integral.  Com 70% de retorno dos questionários enviados, foi traçado mais detalhadamente as debilidades, os desafios enfrentados e superados para a implantação de políticas públicas de educação Integral e Integrada. Foi gerado um relatório nacional e em concomitância com o mesmo também foram realizados os relatórios regionais.

Em 2013 foi implementada a parte qualitativa da pesquisa, a partir de estudos de experiências nas Redes Municipais e Estaduais brasileiras. A ideia é ver como são as tensões de cada município, como se articularam com o PME, se havia outras experiências de educação integral e integrada antes da adesão ao programa e inclusive se aportam recursos próprios para educação integral. Nessa fase vem sendo realizados trabalhos de campo, a partir da metodologia de observação, entrevistas e grupos focais desenvolvidos com os diversos atores envolvidos.

O trabalho de pesquisa foi dividido por regiões, ficando a responsabilidade dividida entre as universidades participantes conforme a tabela abaixo:

UNIVERSIDADES

REGIÕES

UFPR Sul
UFMG, UNIRIO e UFPA Norte e Sudeste
UFG Centro Oeste e Distrito Federal
UFPE Nordeste

 

O TEIA/UFMG vem realizando a pesquisa nas seguintes localidades:

UNIVERSIDADE REGIÕES DE CAMPO DA PESQUISA E EQUIPE REDE MUNICIPAL REDE ESTADUAL
UFMG Sudeste/Norte Vitória (ES)Cariacica (ES)PresidentePrudente (SP)Manaus (AM)Caeté (MG)Coronel Fabriciano (MG)  Manaus (AM)

 

DSC01154Nos trabalhos de campo a equipe de pesquisadores do TEIA/UFMG tem buscado construir um diálogo com os atores envolvidos no processo de Educação Integral, reconhecendo suas práticas e especificidades e ao mesmo tempo compartilhando a experiência acumulada pelo TEIA nos últimos anos.

A pesquisa tem previsão de finalização em dezembro de 2014 com a elaboração de um relatório que será entregue ao MEC.